Força-tarefa do MP deve ouvir nesta semana 16 parentes e pacientes da Prevent que tiveram ou não Covid-19
03/11/2021 13:07 em Novidades

A força-tarefa do Ministério Público de São Paulo que investiga a operadora de saúde Prevent Senior quer ouvir pelo menos 16 pessoas nesta semana para saber mais detalhes sobre o atendimento da empresa durante a pandemia.

Além de familiares de pacientes que tiveram a Covid-19, os promotores querem ouvir também pacientes ou familiares que não tiveram a doença. O objetivo é saber se a Prevent utiliza como padrão o chamado “tratamento paliativo” tanto para as pessoas com coronavírus e também sem o quadro confirmado da doença.

Um dos depoimentos será o do administrador Alexandre Cunha, de 52 anos, que tem a mãe como cliente da Prevent. Ela não pegou Covid-19, mas teve um tratamento semelhante a de pacientes com coronavírus por parte da operadora.

Ela sentiu dores abdominais e foi levada para uma das unidades da Prevent Senior. Lá, foi indicado o tratamento paliativo que a família negou. Meses depois, ela teve que ser submetida a uma cirurgia de emergência e descobriu-se que ela estava com câncer.

A família diz que a operadora sabia do câncer e não avisou os familiares.

“Sugeriram que a gente autorizasse que ela fosse incluída nesse programa de cuidados paliativos. Só que não se falava em câncer. Eles apenas alegavam que ela já era idosa, que ela tinha problemas diversos decorrentes da idade e que teria poucas chances de recuperação. De maneira muito direta”, afirmou Alexandre Cunha.

COMENTÁRIOS
Transmix Bahia FM